(81) 3221-6632 / (81) 3031-6566

Nosso Blog

Número de MEIs no Brasil aumenta durante a pandemia

A pandemia mudou bastante a realidade das pessoas em todo o mundo, e no Brasil não seria diferente. Inclusive no que diz respeito ao mundo do empreendedorismo e das empresas, também percebemos uma mudança profunda que irá trazer efeitos ao longo dos próximos meses para nossa economia.

Apesar das previsões positivas para a economia brasileira no início de 2020, após a pandemia de Covid-19 o cenário foi diferente: negócios tiveram que pausar suas atividades por meses, cerca de um milhão de empresas fecharam as portas e 13,4 milhões de pessoas terminaram o ano desempregadas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE).

Ao buscar outras fontes de renda para se manter, muitos brasileiros encontraram no empreendedorismo uma alternativa – mais especificamente na figura do MEI.

 

O empreendedorismo foi a alternativa para o desemprego na pandemia

Em 2020, de aproximadamente 3,36 milhões de empresas abertas, cerca de 2,66 milhões eram MEIs – um crescimento de 8,4% no número de novos microemprendedores individuais em relação a 2019, segundo o Mapa de Empresas do Ministério da Economia.

Isso mostra que, em um momento em que o desemprego estava aumentando, muitas pessoas buscaram no empreendedorismo uma forma de se manter – especialmente os mais jovens.

 

Jovens se destacam entre os empreendedores

Antes da pandemia, 27% dos novos microempreendedores individuais tinham menos de 25 anos, mas este número subiu para 30% em agosto de 2020.

Podemos perceber essa tendência bem antes: em dezembro de 2014, 22% dos novos microempreendedores individuais tinham menos de 25 anos. Já em dezembro de 2015, com a crise econômica no Brasil, esse número saltou para 26%.

Uma hipótese para esse fenômeno é a necessidade, entre os jovens, de encontrar uma fonte alternativa de renda em um cenário de desemprego em alta – dado que as oportunidades para pessoas com pouca ou nenhuma experiência ficaram ainda mais escassas.

 

Relação entre MEIs e o desemprego

A necessidade de outra fonte de renda e de ter acesso a benefícios previdenciários pode ter levado muitas pessoas a se tornarem MEIs durante a pandemia. É o que chamamos de “empreender por necessidade”, o que leva muitos brasileiros, mesmo da sua própria casa, a começar um negócio com objetivo de mudar de vida e trazer mais renda para a família.

 

Abrir um MEI e empreender pode ser uma boa opção para conseguir garantir uma renda e manter o controle das suas finanças, pagando apenas os impostos unificados do SIMPLES NACIONAL. Quer entender como a EMBRACCON pode te ajudar? Entre em contato e saiba mais.